Premiação

Marta perde prêmio para norte-americana, mas valoriza Seleção feminina

10/01/2017

Marta não conseguiu conquistar o prêmio de melhor jogadora do mundo pela sexta vez. Nesta segunda-feira, a Fifa entregou o troféu de rainha do futebol feminino para a norte-americana Carli Loyd. Ainda assim, a camisa 10 do Brasil procurou dividir sua indicação com as companheiras de Seleção.

 

“Estou feliz [por estar aqui], é um momento especial. Acho que o que a gente procurou fazer nas Olimpíadas reflete neste resultado. Não é só Marta, é toda uma equipe. Estamos representando o trabalho que fizemos”, disse a atleta, que na chegada da cerimônia já demonstrava que não tinha muita confiança em vencer o prêmio.

 

Figurando entre as três melhores jogadoras do mundo pela 12ª vez em um intervalo de 13 anos, não sendo finalista somente em 2015, Marta prefere olhar para toda a sua contribuição na modalidade, além de voltar a bater na tecla de que o futebol feminino precisa, ainda, desenvolver-se, com ênfase ao Brasil.

 

“Acho que temos que partir, primeiramente, do nosso país, do Brasil, para que possamos dar este exemplo a outros países. O Brasil tem uma liga feminina forte, mas está tentando se aproximar das outras potências ainda. Tem que partir do nosso país, dar o exemplo, trazer oportunidades para as meninas para explorar isso em outros países”, completou.

 

Gazeta Esportiva

Comente

Copyright © Sertão Informado 2005-2016. Desenvolvido por Thiago Formiga