Investigações

PF pede prorrogação de inquérito que investiga Dilma, Lula e Cardozo no STF

12/01/2017

A Polícia Federal (PF) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prorrogação do prazo do inquérito que investiga a ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que tenha mais tempo de investigar as acusações apontadas contra os dois durante delação premiada na Lava Jato. O pedido foi apresentado pela PF nesta terça-feira (10) e encaminhado ao ministro do Supremo Teori Zavascki, responsável pelos casos de corrupção na Petrobras na Corte. Não foi informado o prazo de prorrogação pedido pela polícia.

 

Segundo o inquérito, os petistas teriam, supostamente, tentado obstruir as investigações da operação, segundo denunciou o delator Delcídio do Amaral.  Além de Lula e Dilma, também são investigados no mesmo processo os ex-ministros José Eduardo Cardozo e Aloizio Mercadante; o ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Francisco Falcão; o ministro do STJ Marcelo Navarro Ribeiro Dantas; e o ex-senador Delcídio do Amaral.

Esta investigação foi aberta pelo ministro do STF Teori Zavascki, em agosto do ano passado, após um pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que se baseou na delação premiada feita pelo então senador Delcídio do Amaral para fazer tal solicitação.

 

 

Na delação, Delcídio acusou a então presidente afastada Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula de terem interesse em nomear, em 2016, o ministro do Superior Tribunal de Justiça Marcelo Navarro Ribeiro Dantas a fim de barrar as investigações da Operação Lava Jato e liberar os empreiteiros presos pelas investigações.

O senador ainda apontou que a suposta tentativa dos dois petistas contou com a ajuda do então ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que seria o responsável por indicar de maneira informal os nomes de possíveis candidatos ao cargo à Presidente da República. O ex-ministro Aloizio Mercadante também funcionaria como apoio neste esquema.

 

Desde a abertura das investigações, a ex-presidente Dilma afirma que a abertura do inquérito é importante para elucidar os fatos e esclarecer que em nenhum momento houve obstrução da Justiça. A defesa de Lula sustenta que o ex-presidente jamais interferiu nas investigações da Lava Jato. Mercadante também nega que tenha obstruído as investigações.

 

Agência Brasil

Comente

Copyright © Sertão Informado 2005-2016. Desenvolvido por Thiago Formiga