Operação Lava Jato

Presos da 31ª fase da Lava Jato fazem exame no IML de Curitiba

05/07/2016

Os presos da 31ª fase da Operação Lava Jato realizaram na manhã desta segunda-feira (5) exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba. O procedimento é padrão e ocorre após a prisão. Depois do exame, os investigados retornaram para a carceragem da Superintendência da Polícia Federal (PF).

 

A mais recente fase da Lava Jato virou as investigações para o Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes). Segundo o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF), o Consórcio Novo Cenpes pagou R$ 39 milhões em propina para conseguir um contrato na Petrobras entre 2007 e 2012. Entre os beneficiários do dinheiro estaria uma escola de samba.

 

O consórcio era composto pela OAS, Carioca Engenharia, Construbase Engenharia, Shahin Engenharia e Construcap CCPS Engenharia.

 

A Operação Abismo, como foi intitulada a 31ª fase da Lava Jato, teve quatro mandados de prisão temporária – com prazo de cinco dias, prorrogáveis por mais cinco.

 

Dois foram cumpridos e, portanto, realizaram o exame de corpo de delito Edson Freire Coutinho, ex-executivo da Schahin Engenharia, e Roberto Ribeiro Capobianco, presidente da Construcap.

 

Genesio Schiavinato Junior, diretor Comercial da Construbase, deve se apresentar nesta terça-feira, de acordo com o advogado que o representa. Já Erasto Messias da Silva Jr., da construtora Ferreira Guedes, é procurado.

 

Há ainda um mandado de prisão preventiva contra Paulo Ferreira, ex-tesoureiro do PT, que já estava preso em virtude da Operação Custo Brasil. Ele está detido na Superintendência da Polícia Federal de São Paulo.

 

Depoimentos
De acordo com a Polícia Federal, o ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira deve prestar depoimento nesta terça-feira, em São Paulo. O delegado que irá conduzir o depoimento é um dos novos da força-tarefa.


 

Edson Freire Coutinho e Roberto Ribeiro Capobianco devem prestar depoimento na quinta-feira (7) em Curitiba, onde estão detidos. A prisão temporária deles, caso não haja prorrogação, vence na sexta-feira (8).

 

G1

Comente

Copyright © Sertão Informado 2005-2016. Desenvolvido por Thiago Formiga