Entrevista

Cantor catoleense Chico César diz em entrevista que o Brasil sofreu um narcogolpe

08/08/2017

Em entrevista exclusiva à TV 247, o cantor e compositor paraibano Chico César, ativista e ex-Secretário de Cultura da Paraíba, se mostrou pessimista com o futuro do país. “É um Brasil deselegante, a injustiça social é muito feia, e quase não há mais espaço para demonstrações de desprezo a tudo isso que estamos vivendo”.

 

Para Chico, a grande mídia e setores da sociedade no fundo comemoram os tanques nas ruas do Rio. “Eles querem que o pobre não desça para praia, que fique no morro. Sempre houve, desde a época da escravidão, um desprezo pelo pobre, pelo trabalhador braçal. A gente teve um período, uma tentativa de inclusão dos mais desfavorecidos que incomodou profundamente o grupo de privilegiados, que agora celebra a volta do negro pro Quilombo e que deseja que a USP seja pra sempre uma FAAP”.

 

O cantor chama o afastamento da ex-presidente Dilma de “narcogolpe”.

 

“Alguns setores no Brasil conseguiram o que nem Pablo Escobar sonhou na Colômbia. Todo mundo sabe quem é dono da cocaína do avião, mas a grande mídia silencia. Enquanto isso, um advogado ligado a uma facção criminosa vira secretário de Estado e depois Ministro do Supremo”.

 

Chico esteve com Lula e Dilma na inauguração da Transposição do Rio São Francisco e mais recentemente visitou comunidades ribeirinhas no interior da Bahia e de Alagoas. “O motorista que me conduziu foi me dizendo: “Olha, o canal passou por ali, agora tem plantação aqui, antes não tinha nada. Foi emocionante ver a alegria das pessoas, que sabem exatamente quem fez aquilo, quem lutou pela transposição”.

Comente

Copyright © Sertão Informado 2005-2016. Desenvolvido por Thiago Formiga