Espaço

A missão da Nasa ao asteroide que pode colidir com a Terra

09/09/2016

Aterrissar no asteroide Bennu, recolher uma amostra e trazê-la de volta é um desafio e tanto. Numa jornada de sete anos, a sonda OSIRIS-REx deve explorar o corpo celeste "próximo" à Terra.

 

Há alguns dias a Agência Espacial Europeia (ESA) anunciou que finalmente encontrara o robô Philae no cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko. Correu mundo a tocante imagem do robozinho numa escura fissura do cometa, dois anos depois de concluir com (relativo) sucesso o primeiro pouso num cometa.

 
 

Publicidade

 

Philae estava encarregado de uma série de experimentos científicos no 67P, tendo conseguido realizar 80% da tarefa antes que sua bateria acabasse. A sonda Rosetta, que o transportara, orbitou o cometa para estudar seu núcleo e cercanias. Feito isso, e com Philae localizado um mês antes do fim da missão, Rosetta deverá se chocar contra a superfície do cometa em 30 de setembro. Que jeito de terminar.

 

Agora é a vez da Nasa. Só que a agência espacial americana quer ir mais um passo adiante: sua sonda OSIRIS-REx voará até o asteroide "próximo à Terra" Bennu e - se um monte de coisas derem certo - trará uma amostra para os cientistas a estudarem na Terra.

 

O que é OSIRIS-REx e qual é sua missão?

OSIRIS-REx é uma nave espacial. Seu nome significa Origins Spectral Interpretation Resource Identification Security - Regolith Explorer . Ela está prestes a começar uma missão de sete anos no asteroide próximo à Terra Bennu, anteriormente conhecido como 1999 RQ36.

 

A sonda espacial vai orbitar o Sol por um ano, antes de usar o campo gravitacional da Terra para se aproximar do Bennu. Usando uma "série de pequenos propulsores de foguete", ela vai alinhar sua velocidade com a do asteroide e realizar o pouso.

 

Quando a OSIRIS-REx será lançada?

O lançamento da sonda a partir do Cabo Canaveral, Flórida, está previsto para as 19h05 desta quinta-feira (08/09) (20h05 em Brasília). Esse é apenas o início da temporada de lançamentos que dura 34 dias.

 

O foguete Atlas V 411 leva a OSIRIS-REx para o espaço. Ele é um "veículo de lançamento avançado descartável" operado pela United Launch Alliance, uma joint venture da Lockheed Martin e da Boeing.

 

Quando chegará ao Bennu?

A OSIRIS-REx deve alcançar o asteroide Bennu em 2018 e está programada para retornar à Terra em 2023, sete anos após o início da missão.

 

Quais são os objetivos científicos da missão?

Está tudo explicado no nome:

 

Origins : a Nasa conta que a OSIRIS-REx retornará à Terra trazendo uma amostra do asteroide "intocada e rica em carbono".

 

Spectral Interpretation : ela deve fornecer observações para dados telescópicos de toda a população de asteroides.

 

Resource Identification : mapear a química e a mineralogia de um asteroide primitivo rico em carbono.

 

Security : deve medir o Efeito Yarkovsky, da luz solar sobre a órbita de um pequeno asteroide. Um asteroide como o Bennu recebe um "empurrãozinho" ao absorver a luz e reemitir a energia na forma de calor.

 

Regolith Explorer : coletar dados da camada de material externo solto conhecida como regolito.

 

E por que o Bennu?

O Bennu é o que se denomina um "objeto próximo à Terra" (NEO, em inglês), os asteroides que ficam mais perto a nosso planeta. "Próximo" é para ser entendido aqui de forma relativa: os NEOs orbitam a até 1,3 AU (unidade astronômica) do Sol, ou cerca de 193 milhões de quilômetros (a distância entre a Terra e o Sol é de 1 AU).

 

Para a missão OSIRIS-REx ser viável, a Nasa tinha que escolher um asteroide situado entre 0,8 AU e 1,6 AU, com órbita semelhante à terrestre. Quando Bennu foi selecionado havia 7 mil NEOs desconhecidos, mas apenas 192 atendiam aos critérios iniciais.

 

TERRA

Comente

Copyright © Sertão Informado 2005-2016. Desenvolvido por Thiago Formiga