Entretenimento

Três meses pós-parto, Simone passa por cirurgia para retirar útero

No início do mês, a sertaneja foi diagnosticada com adenomiose, uma doença uterina que causa sangramento e dores fortes

Simone Mendes, dupla sertaneja de Simaria, se submeteu a uma histerectomia, nesta sexta-feira (28), para retirar o útero. De acordo com a assessoria de imprensa da artista, o procedimento foi feito para curar a adenomiose, doença uterina que Simone vinha sofrendo desde o parto da filha caçula, Zaya, que aconteceu em fevereiro deste ano.

“Ela estava com um sangramento continuo, por quase 3 meses após o parto e com muitas queixas de dor e até hemorragias intensas. Ao longo deste período, a artista buscou outros tratamentos indicados pelo Dr. Renato Kalil – tratamento hormonal, uso de Diu Mirena e outros mais complexos – mas após exames e em consenso entre a artista/médico, optou-se por uma histerectomia, realizada por videolaparoscopia, para a retirada do útero, já que a artista já havia realizado a Laqueadura após o nascimento Zaya. Simone passa bem e segue com o repouso pós procedimento”, diz o comunicado enviado ao R7.

A cantora deixou os fãs preocupados após compartilhar uma foto ao lado do marido em um quarto de hospital. Sem dar muitos detalhes sobre o procedimento, ela falou que está bem e que deve ficará mais reservada nos próximos dias. “Vou ficar três dias off, meus amores. Está tudo bem comigo. Depois explico”, escreveu.

Como Simone descobriu a doença?

Em um vídeo publicado em seu canal no Youtube no dia 7 de maio deste ano, Simone contou como foram os dias após o parto da filha até o diagnóstico da adenomiose. “Foram passando dias e nada dessa menstruação ir embora. Comecei a ficar preocupada porque a menstruação não ia embora”, contou.

A artista disse que quando chegou ao Brasil, após dar à luz à filha nos EUA, procurou seu médico, que receitou uma medicação para interromper o sangramento, mas não teve sucesso. Foi então que ela começou a fazer uma bateria de exames para tentar identificar qual era a origem do problema. “A doutora olhou e meio que imaginou que fosse alguma coisa, mas não deu pra ver perfeitamente”, contou ela sobre o exame transvaginal. “Então, depois fiz um exame mais elaborado. Nele, a gente detectou que eu estava com uma Adenomiose. Tava fazendo com que o sangramento não parasse”, explicou.

Fonte: R7

Sertão Informado

O sertão informado é um portal de notícias, que está sempre atualizado com as últimas notícias de Sousa, do Brasil e da Paraíba em geral.
Botão Voltar ao topo