CidadesDestaques

VÍDEOS: O dia em que o bando de Lampião causou terror a população no município de Sousa

O ataque ocorreu na manhã do dia 27 de julho de 1924

O cangaço foi uma onda de banditismo, crime e violência que surgiu entre o final do século 19 e começo do 20, no Nordeste brasileiro, composto por grupos de homens armados conhecidos como cangaceiros. Estes grupos apareceram em função, principalmente, das péssimas condições sociais da região nordestina, alimentos que eram bastante escarço, desemprego, fome, a cidadania que não era respeitada pelo governo, impostos altíssimos e a seca.

Dados históricos apontam que o primeiro homem a agir como um cangaceiro foi José Gomes, conhecido como Cabeleira, nascido em Glória do Goitá, cidade pernambucana, em 1751. Entretanto, foi com Lampião, Antonio Silvino e Corisco, no século 19, que o cangaço ganhou destaque. Os três tornaram-se conhecidos, principalmente, por usarem a violência para saquear, sequestrar e matar fazendeiros como forma de protesto contra as desigualdades. Estima-se que sua gangue chegou a matar mais de mil pessoas.

Se por um lado aqueles que detinham o poder se sentiam ameaçados, por outro grande parte da população passou a se sentir protegida e a valorizar a ação daqueles que lutavam pela sua causa. No entanto, havia também os cangaceiros que provocavam terror por onde passavam, invadindo até mesmo aldeias e comunidades humildes para cometer atos violentos. Portanto, pode-se afirmar que o cangaço possuía subdivisões, ou seja, grupos que atuavam de maneiras distintas.

Na cidade de Sousa, Sertão da Paraíba, o estopim para o ataque do bando de Lampião, foi a morte do Coronel João Pereira, que tinha um barracão, onde fornecia mercadorias. Tudo deu início, quando o seu filho Francisco Pereira Dantas, mais por “Chico Pereira” colocou disputas políticas, como a causa da morte de seu pai, que para ele foi assassinado a mando do influente cidadão Otávio Mariz e o seu pai Antônio Marques da Silva Mariz.

(Foto: Reprodução/Canal Cangaçologia)

Em um dia de feira em Sousa, Otávio Mariz, que também era o atual prefeito da época, notou a conversa entre um bodegueiro de Nazarezinho, Chico Lopez e um homem da confiança de Chico Pereira, de nome Chico Américo. Desconfiando da conversa, Otávio Mariz, comprou uma chibata em uma banca e aplicou uma surra em Chico Lopez, falando que fosse a fazenda Jacu, no município de Nazarezinho, avisar a Chico Pereira que tinha outra surra prometida para ele.

No Sítio Jacu, Chico Lopez detalhou o acontecido e procurando buscar alguma resposta, foi à cidade de Princesa Isabel encontrar com Virgulino Ferreira da Silva, o “Lampião”, que se tratava do pé. Em conversa, sobre o humilhante assunto, Lampião decidiu enviar 17 homens de sua confiança para ser feita a vingança. Vale ressaltar que o bando, também visava o lucro financeiro, já que Sousa tinham um grande comércio para aquele tempo.

Antes de chegarem à cidade “Sorriso”, os 17 cangaceiros foram a fazenda Jacu, onde se juntaram com jagunços da família Pereira, somando cerca de 84 homens dispostos a realizar o ataque, que ocorreu na manhã do dia 27 de julho de 1924, sendo grande parte da população pega de surpresa.

Já em Sousa, o grupo que chegou em cavalos, se deslocou a residência do principal alvo, Otávio Mariz, em busca de sua pessoa, que sabendo da vinda do grupo, já havia foragido ao município de Lastro, em busca de ajuda do Capitão Manoel Gonçalves. Otávio Mariz e Manoel Gonçalves uniram uma tropa, porém ao chegarem para socorrerem a cidade, o bando de cangaceiros já não estavam mais ali.

Na história o grupo marcou um prejuízo incalculável, saqueando comércios e residências. Além disso, fizeram o Juiz local, Arquimedes Souto Maior, que residia próximo da Igreja Nossa Senhora do Rosário, de “cavalinho” com roupa de pijama, pelas ruas da cidade. O ato final seria o assassinato do magistrado, mas Chico Pereira interveio por meio do diálogo e evitou a consumação do ato.

Em desfecho, as autoridades paraibanas se revoltaram da humilhação praticada contra o juiz Arquimedes, e intensificaram várias perseguições contra Lampião e seu bando os expulsando do estado da Paraíba.

Assista aos vídeos:

 

 

Da Redação
Sertão Informado,
Com texto de José Romero de Araújo Cardoso e outras fontes de pesquisa da internet

Deixe sua opinião abaixo via Facebook

Sertão Informado

O sertão informado é um portal de notícias, que está sempre atualizado com as últimas notícias de Sousa, do Brasil e da Paraíba em geral.
Botão Voltar ao topo